5 livros nacionais com temática LGBT+ que você deve ler

Leitura de 1 minutos

Ano passado, a All Out fez uma campanha pra arrecadar livros pra Biblioteca Cassandra Rios – uma biblioteca inteirinha de livros escritos por e sobre pessoas LGBT+ – que fica no Instituto LGBT em Brasília.

Pedimos pra equipe da Biblioteca indicar cinco livros nacionais com temática LGBT+ pra compartilhar por aqui! Olha o que o pessoal sugeriu.

1- Bendita cura de Mário César

Essa indicação é para quem ama HQs! Bendita Cura retrata o que é ter a vida marcada pelo preconceito e os efeitos de terapias de reversão que tentam curar algo que simplesmente não é uma doença.

2- Coligay - Tricolor e de todas as cores, de Léo Gerchmann

Quem disse que pessoas LGBT+ não curtem futebol? Passados quase 40 anos, a homossexualidade ainda é um tabu no ambiente futebolístico. Mas durante seus cinco anos de atividade, a Coligay mostrou a cada jogo que não há maior frescura do que o preconceito.

3- De trans para frente, de Dodi Leal

Com suas poesias mostrando seu universo único e pessoal sobre ser trans, Dodi nos apresenta esse livro cheio de luta, amor e resistência. “Eu soul Trans. E celebro minha existência. Celebro as nossas vidas, nossas conquistas. Se eu não fosse Trans, gostaria de ser.”

4- Sapa profana, de Raíssa Éris Grimm

Mais uma indicação para quem ama poesias. Nesse livro com suas poesias, Raíssa Éris Grimm nos leva a explorar  seu mundo interior e suas experiências sendo quem é.

5- Controle, de Natalia Borges Polesso

Gosta de romance? Uma narrativa impactante sobre relações homoafetivas entre mulheres, o poder do desafio e, acima de tudo, as escolhas que precisam ser feitas para que as pessoas se tornem quem elas querem ser.

Escrito por Barbara Yamasaki, voluntária na All Out, apaixonada por cores, doces e trabalhos manuais. Designer por formação e aspirante a muitas coisas.

 

O que significa não-binariedade pra você?

5 livros nacionais com temática LGBT+ que você deve ler

Dia da Pessoa Refugiada: iniciativas na América Latina acolhem pessoas LGBT+ refugiadas