O que já rolou

Nossas campanhas são a prova de que o amor sempre vence. Conheça algumas das nossas maiores vitórias (até agora!).

Ataque a pessoas trans na Tunísia

Héla foi presa na Tunísia por ser trans. Graças à pressão de membros da All Out do mundo todo, Hélà agora está livre não vai voltar para a prisão.

Héla, uma jovem da Tunísia, estava voltando para casa depois de uma noite entre amigos quando a polícia parou seu carro e a prendeu simplesmente por ela ser trans.

Eles a insultaram, espancaram e torturaram. Por ter defendido os próprios direitos, ela se tornou vítima de um processo judicial. Um juiz transfóbico condenou Héla por "indecência" e a sentenciou a quatro meses de prisão numa cadeia masculina, o que a deixou ainda mais exposta à violência.

Junto com a organização tunisiana Shams, lançamos uma petição mundial pedindo ao primeiro-ministro da Tunísia que libertasse Héla imediata e incondicionalmente. Dezenas de milhares de pessoas assinaram a petição, que teve quase 10 mil compartilhamentos no Facebook e Twitter.

Tradução: Héla, uma mulher trans, foi condenada à prisão numa cadeia masculina. Assine a petição para libertá-la. #FreeHela

Poucas semanas depois, a Câmara de Recursos da Tunísia ordenou a liberdade provisória de Héla e a revisão de sua sentença. Quando faltavam poucos dias para a solução do caso, pedimos mais uma vez para nossos membros assinarem e compartilharem nossa petição:

Em 23 de fevereiro, dia da audiência de apelação de Héla, entregamos mais de 45 mil assinaturas para o primeiro-ministro da Tunísia, e deu certo! Apesar de exigir o pagamento de uma multa, o Tribunal de Recursos decidiu libertá-la de uma vez por todas.

Depois de ser liberada, Héla compartilhou conosco a seguinte mensagem:

"Muito obrigada aos membros da All Out que estiveram ao meu lado e me ajudaram a sair rapidamente da prisão."

Em 17 de setembro de 2018, Hèla foi presa novamente por "indecência" por um policial transfóbico que a insultou e depois a levou para uma prisão masculina. Ela ficou presa em uma cela com 50 homens.

Assim que ficamos sabendo, reabrimos a campanha e enviamos uma mensagem de emergência para membros da All Out.

Além disso, entregamos mais de 49 mil assinaturas de pessoas que pediam a liberdade de Hèla para o Primeiro Ministro da Tunísia, Youssef Chahed.

E, mais uma vez, a pressão funcionou! No dia 21 de setembro, o Tribunal decidiu novamente pela liberdade de Hèla.